segunda-feira, 23 de outubro de 2006

as roupas
guardam você
na ausência
no adeus
na morte

vestem você
de medo
de pesares
de angústia

despem você
de sonhos
de esperança
de amanhãs

(avessas ao tempo
,imunes às palavras
,dizem apenas
o que precisam dizer)

5 comentários:

Wilson Guanais disse...

ótimo, ótimo mesmo, gostei.

abraço

Bruna Rasmussen disse...

que poesia MARAVILHOSA.

deixei-me cair nessa densidade :)
gostei MESMO!

beijos

Luzzsh disse...

Oi Douglas,

....Vezenquando, não dizem mais?...até mesmo o que não se queria ouvir?....

Adorei esse poema...

Beijo...

Celso disse...

Olá poeta. Belo texto. Voltei aos blogs. Visite lá: http://diascomemtempo.blogspot.com


um abraço

Ivã Coelho disse...

É, as roupas revelam mais que o corpo nu.

Abçs