quarta-feira, 12 de julho de 2006



pro syd
não foi a morte
não
nem as vozes que cutucavam
a tua cabeça
nem a lua, escura e desatenta
de ti

não foi a morte
não
nem o teu silêncio aprisionado
no peito
nem as manhãs, frias e esqueléticas
sem ti

[os anjos sabem teu nome]

5 comentários:

Celso disse...

tristeza e dor. e um bom poema.

sds

JoãoSilveira disse...

sim, sem dúvida - um bom poema.
o prazer é todo meu.

Leandro Jardim disse...

Salve a beleza nas palavras do poeta dos blogs diversos!!!

cm disse...

é sempre bom um rasgo de silêncio..de ti...

firmina12 disse...

uma poema que mefaz vir agradecer-te uma visita