quarta-feira, 4 de março de 2009


imagem de beau white
eu não sou feito das tripas
que alimentam o teu ódio
amargam a tua existência
rapinadora de sonhos
e
nem vivo a esconder-me
atrás dessa saudável felicidade
que inventas com as mãos precisas
de quem sabe mentir

[porque é só o que te resta
porque é só o que te cabe
porque é só o que te mantém assim]

2 comentários:

Mulher na Janela disse...

essa vão "saudável felicidade", que se lhe arranque a cara!

belo poema, grande inquietação.

abraços...

Angela disse...

Nada mais tolo e irritante que esta felicidade esfusiante que precisa se afirmar e que esconde o medo!
Sempre profundo e belo.
um afago,