domingo, 11 de junho de 2006


tecendo incoerência
preso neste emaranhado de tristeza
eu abdico do calar
ESTACIONANDO NAS FOTOGRAFIAS ENVELHECIDAS
redefino o verbo
recapitulo a dor
acendo velas ao que partiu
sonho sozinho
mesmo não tendo o que sonhar

[fotos guardam dias e noites
sem estrelas sem lua sem sol]

3 comentários:

tb disse...

...a capacidade de sonhar que seja sempre um realidade e as fotos envelhecidas se esfumem no tempo...

Mayroca disse...

Oi! Brigada pelo que escreveste no meu blog =]

E vi que tens vários. Vou olhar todos!

beijos

Joana Careca disse...

Oi.
Beijos
Joana